Páginas

Respirando...


As coisas parecem que não mudam, quem mudam são as pessoas, são as circunstâncias, não os lugares, não as pessoas. Um mesmo lugar pode ser belo ou horrendo, depende do espectador, depende de quem o está analisando. Assim, viver não se baseia apenas em 'tocar o barco', mas sim diferentes sensações, na sinestesia cotidiana, nas diferentes lentes que usamos cada vez que vemos algo ou vamos a um lugar qualquer, seja ele relevante ou não para nós. Do que adianta, então, criarmos e fantasiarmos tantas coisas e situações, se não as colocamos em prática? De que adianta, então, apenas sonhar e idelizar, se os sonhadores e idealizadores se mantém apenas no plano das Ideias (como diria Platão) e não no plano físico e concreto, na realidade? E é neste ponto o qual esta que vos escreve se encontra. Estou farta de apenas insinuações, planos, metas, sonhos. Quero vivê-los, quero senti-los, quero respirá-los, experimentá-los, saber como realmente seriam se se tornassem realidade. Vou soltar meus corações, minhas paixões, minhas aspirações, meus pensamentos, vou deixar que o vento os leve, que eles encontrem quem devem encontrar, que eles sejam o que devem ser e vou lutar para que eu consiga vê-los aqui de baixo, vê-los voando e deslizando pelo ar, por esse céu tão diferente, tão cheio de faces, de cores, de luzes, de algodão-doce, de tantas formas, tantos jeitos diferentes. Vou deixá-los livres, vou ver até onde eles podem alcançar. Quero sentir o vento batendo em meu rosto, quero respirar o aroma singular que vem deste lugar dos sonhos, quero sentir o sol iluminando todos os pontos de meu corpo, quero beber destas circunstâncias, quero sentir a brisa e a aurora alcançarem meus olhos, meus lábios, meu sangue. Quero tudo isso e muito mais, muito além de tudo o que já quis até hoje. Quero viver um amor, mesmo um já existente e que permanece por tanto tempo, quero ver frutos deste amor, quero sofrer com ele, quero abraçar esse sentimento junto a mim, quero vê-lo dormir, vê-lo acordar, ver que ele ainda está aqui. Quero que tudo isso seja realidade e não apenas sonho. Quero sentir tudo o que já imaginei, as sensações boas e as ruins, as desejadas e as desagradáveis, o tudo e o nada, o belo e o desfigurado. Quero que a ampulheta do tempo continue seu trabalho, quero ver as marcas do tempo surgirem em meu rosto, quero ter filhos e vê-los crescer, e educá-los, amando-os mais até do que achei que seria capaz, quero amar o pai deles, quero envelhecer com ele, quero brigar com ele, quero deitar em seu colo, quero cozinhar seus pratos prediletos, quero contar com ele e que ele conte comigo, quero crescer, aprender e ensinar com ele. Quero também saber quem será ele, quero saber se tudo o que sinto vai se tornar realidade, vai dar frutos. Quero uma vida hoje e uma vida amanhã. Quero o tempo de ontem, o tempo de hoje e o tempo de amanhã...

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS
Read Comments

1 comentários:

albanezricci disse...

Então apenas respire, se esforce para continuar respirando que o tempo vai encaixar tudo em seu lugar. Não deixe de respirar porque estufar em seu peito é muito mais que ar, ali mesmo pulsa aquilo que chamamos de amor e ele respira junto com o nosso desejo de viver. Foi assim que aprendi com você, amar é viver, quem não amar não viverá. Se você sonha que ama, pensa que ama, não deixe nunca de respirar, lute primeiro consigo mesma para sobreviver ao tempo e a distância. Mais cedo ou mais tarde o vento que vem do norte, muda para o sul, ele andará para o outro lado porque você necessita desse para respirar. O tempo vai atender seus desejos, mas terá que ter paciência,porque existem outras pessoas que precisam desse vento para levar a vida.

Postar um comentário